Só Restaram os Chifres.

Ela não se importa... Vive la France...

DSK aguardará o fim do processo sem poder sair do país… Se aprontar alguma, ficar falando em cestas de moedas ou começar a rearticular sua candidatura… esse processo vai ter tempos de justiça brasileira…

Eu pensava que esse seria o plano B, mas, na verdade, era o plano A, desde o início provavelmente. Restaurei minha confiança na inteligência e em um certo senso de limites, deixar o cara preso por mais tempo era quase reescrever o direito de matar… Afinal DSK não pode ser tratado como um Bin Laden, isso acaba sendo tiro no pé.

O real perigo desses planos a la Missão Impossível é uma grande patuscada que desencadeie em um grande vexame, o acender de um rastilho politicamente incontrolável.

A questão do estupro oral, de figurativamente forjarem um atavismo de tarado francês pela guilhotina, mesmo a bucal, era um acinte ao senso comum… Ainda agora é a pista que revelou a operação… Nem se a camareira fosse um personagem real, seria ingênua de tentar isso e muito menos a polícia comum dos distritos nova-iorquinos aceitariam a história não fosse com o envolvimento de instâncias superiores. Antes parecia uma ação do Agente 69, no entanto, no tempo certo, com diversos objetivos já alcançados e acordos feitos, a coisa é restabelecida… E a vítima pode até desconfiar ou ter certeza, mas não tem como provar…

Ao eleitor francês resta pensar se vale a pena votar em um camarada que, com a responsabilidade que tinha e pretendendo aquela de ser presidente de uma potência nuclear, aceitou a oferta de sexo fácil ofertada de primeira por uma camareira de hotel. Não é o problema falso-moralista da questão (inclusive sua esposa afirmou aceitar sua viril conduta) é o risco de ocorrer situações como a que ele se envolveu, aí é que o bicho pega e serve de avaliação do indivíduo para comandos de chefia, onde a vida de terceiros pode ficar em risco.

Agora só falta as louras suecas desistirem de sua ação contra o Assange… porque essa também pegou mal e foi mal construída, tipo apelação barata imaginada por advogado chave de cadeia.

Anúncios

Sobre João Canali

Jornalista brasileiro e norte-americano residente em Miami, produtor e apresentador do Seriado Teorias (You Tube).
Esse post foi publicado em Política Internacional. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Só Restaram os Chifres.

  1. fbarbuto disse:

    Digam rápido aí: qual o nome do primeiro-ministro da França? Sim, pois a França tem um… É uma república semi-parlamentarista. Não sabem seu nome? Pois é… Em outro país qualquer como Itália ou Portugal, o presidente, ou candidato a isto, não teria a importância que tem um Sarkozy, ou o DSK (como candidato) antes da mancada fatal.

    DSK não está morto, pelo contrário, a popularidade dele caiu apenas 10% (parece um monte, mas é até pouco tendo em vista o ocorrido). Os americanos precisam prolongar a estadia do pré-candidato nas terras do Tio Sam por tempo o suficiente para melar sua candidatura. Senão, corre o risco de um presidente francês que já esteve preso em solo americano por motivos vexatórios vir a apertar a mão de Monsieur Obamá (ou o republicano que decerto irá sucedê-lo mas cujo nome ainda não sabemos) num encontro de G-8 ou outro summit qualquer.

    Como caiu rápido esta farsa, hein?

    • João Canali disse:

      O instigante nesse caso Fausto é que ele nos remete a outros caso famosos do passado com envolvimento dos serviços de espionagem e contra-espionagem que tantos filmes e até mesmo enlatados televisivos renderam. Me lembro aqui, por exemplo, do caso Perfumo, em plena Guerra Fria, que foi clássico, pois a ação das agências de espionagem foram reveladas… Mas, talvez esse seja o primeiro caso onde podemos observar com todas as letras uma operação bem sucedida em sua consecução (até aqui) mas, que pecou pelo fato de ter sido intuída por meio mundo. Não resisto a piada fácil de compará-la a uma ação clássica do serviço secreto de um certo país, aquele onde os operativos usam crachás de agente secreto… ora pois… Com a Internet fofocando o tempo todo a vida desses serviços deve ter ficado muito difícil…

      Nos remete também a lembrança de que isso ainda existe e nem sempre se dá de maneira tão evidente. O que nos abre um leque de suspeitas que poderiam se transformar facilmente em uma espécie de paranóia… Esse caso vem a calhar porque nos indica diversos limites. Que existem forças incontroláveis de maneira direta. Podem controlar a mídia a ponto de tocarem o problema na Líbia como uma espécie de iô-iô, vai e vem, e sonegando informações básicas do tipo: Como um regime de um país que não produz praticamente nada, bloqueado militarmente e economicamente pelas maiores potências internacionais consegue resistir tanto tempo a uma rebelião armada sustentada de fora? Claro que poderemos imaginar diversas respostas incomodas… Mas… a questão é da mídia não estar fazendo essas perguntas tão óbvias… Como também nenhum New York Time da vida ou mesmo a um dia importante imprensa francesa de esquerda, como o Le Monde não entrevistaram psicólogos e criminalistas para questionarem como seria possível o estupro oral como o que teria ocorrido no caso do DSK… Detalhe este que gritava como uma aberração na concepção do plano (mesmo que fosse somente da camareira) desde o início. Retornando aos limites… controlam a mídia mas não conseguem controlar determinados indivíduos e forças políticas de determinados países. Saber disso é bom para o tratamento de nossa paranóia, que tende a imaginar um mundo onde existe um poder que tudo pode e tudo controla.

      Nos remete também, curiosamente, devido a coincidência, a questão política quanto a divulgação de atos secretos do governo brasileiro (como se marucutai virasse documento oficial para ser bisbilhotado por historiadores do futuro, ora pois…). Querendo jogar uma bomba puff no assunto Palloci, surgiram com esse tolo factóide político semanas atrás… Tolo no caso brasileiro, quando o máximo que se encontraria seria a informação que algum opositor da ditadura faleceu na prisão devido a torturas e general fulano ou beltrano sabia disso… Ohhh… Mas… e no caso americano? Uma ação do tipo da que imaginamos para o caso DSK provavelmente, geraria registros que um dia estariam passíveis de serem divulgados? Constava dos dispositivos legais perpetrados pelo nefasto petroleiro Bush na “Guerra ao Terror” a existência de leis secretas… Será que dá para imaginar uma “lei secreta” que crie restrições a divulgação de atividades secretas no futuro quando essas colocam as relações internacionais em risco diplomático, mesmo no momento da divulgação. Aposto minhas fichas que sim.

      Bom, deve se dar destaque a notícia dessa semana que informa que os franceses entregaram, sem autorização da ONU, armas aos insurgentes Líbios… Isso no ínterim do caso DSK… Quer dizer… A importância de Sarkosy se torna cada vez mais patente… Note que da rápida resolução do problema na Líbia, depende uma significativa baixa no preço do barril, do qual depende a recuperação econômica necessária para anular esse “decerto” que você usou em seu comentário. Diante a ameaça desse “decerto” continuo firme torcendo pela continuação do uso da inteligência (duplo sentido). Não morre ninguém (ou pelo menos, menos…) e as coisas se encaixam… para que não tenhamos que passar pelo constrangimento de ver naquele summit que você imaginou, algo pior… um presidente francês taradão se lembrando de uma certa camareira da Guiné quando ver a… deixa pra lá… seja bom entendedor… 😉

      • fbarbuto disse:

        Canali,

        Bem lembrado o Caso Profumo, onde mais uma vez o poder de uma xoxota mulher sedutora derruba potentados (no caso o próprio John, secretário de defesa) e o governo (Conservador) ao qual ele pertencia. Mas foi um affair interno, embora na época houvesse quem tenha visto o dedo dos russos no escândalo. O que se vê com DSK é algo muito maior, no mínimo binacional eu diria, se bem que deve existir mais envolvidos nesta estória. Agora, numa coisa o Cesar tem razão: a CIA (e não o FBI como ele escreveu, pois creio que o caso já ultrapassa a esfera interna federal e se torna ultranacional, um caso de inteligência(?) e não de polícia) teria feito melhor, se fosse uma conspiração… Terá sido apenas um delírio de uma afro-camareira que vislumbrou um possível “suadouro” contra um francês erótico cheio da grana? Mas para tanto ela teria que saber quem ele era, e que tinha muito dinheiro… Não se dá um golpe assim à-toa, caso contrário sobra apenas a estória de uma mulher de carnudos afro-lábios que pagou um delicioso sexo oral (e um retumbante mico) num ancien pauvre. Mais ridículo impossível, ainda mais nos EUA onde tudo se traduz por dinheiro e ninguém dá ponto sem nó.

      • João Canali disse:

        Fausto e Cesar, deixe-me atualizá-los com as últimas informações do caso. Vem a tona a informação que essa camareira é suspeita de fazer programas com os hospedes do Sofitel… De pobre coitada ela não tem nada… Foi liberada a informação oficial de que os poucos arranhados que apresentou como evidência de uma suposta agressão de DSK continha partículas de esmalte de mulher (foi ela mesma que se arranhou), DSK é roedor de unhas, foi igualmente informado. Já haviam dito que ela aplicara golpe semelhante em seu país, onde conseguiu arrecadar uma indenização de US$ 100.000.00 de outro incauto rico.

        A parte as contradições e exageros que venho relatando desde o início do caso, a coisa foi belissimamente tramada e executada até agora , discordo de vocês dois, seja qual tenha sido a agência ou grupo (fora evidentemente o FBI que só cuida de contra-espionagem dentro do país, mas não participa de ações de espionagem ou inteligência, como bem lembrou o Fausto)… Talvez nem ela saiba por quem tenha sido envolvida, mas, se abrir o bico, além de não ter prova alguma, também não terá credibilidade nenhuma no que disser depois de tantas mentiras… Se foi usada de forma avulsa, poderá até ser paga pousando para a Playboy ou uma outra revista de escândalos, depois de pagar uma pequena pena a depender dos acordos com a justiça (que obviamente não é envolvida nesse tipo de coisa)… Mas acredito que, passado o caso, sumirá, (aliás nem fotos nem vídeos dela foram divulgados até agora, vamos ver agora que a coisa virou) como a Mônica Chupinsky, por exemplo de sumisso.

        E tem mais uma circunstância nesse caso que explicaria o fato da defesa de DSK, não ter declarado que pagou pelo “boquete”… É que nesse pseudo-puritano país (menos em Nevada onde fica Las Vegas…) a prostituição é crime para os dois lados. Se ele alegasse ter pago pelo sexo oral, estaria se condenando a serviços comunitários… a multa que acompanha esses casos é irrisória para a fortuna de DSK… mas a humilhação de lavar carros da NYDP ou varrer alguma rua do Brooklyn… é grande. E algo assim ainda pode rolar no processo para atrasar a saída de DSK, se for necessário…

      • fbarbuto disse:

        Três conclusões tiramos deste caso:

        1. DSK não é flor que se cheire;
        2. A camareira não é flor que se cheire;
        3. Política internacional e salsichas: não queiram saber como são feitas.

        A única coisa esquisita nesta trama (e que sugere mesmo que houve uma) foi a solicitude com que os policiais tiraram o DSK pra fora do avião e o colocaram dentro de um inferno astral sem muito embasamento ou discussão. É bacana ver uma polícia solícita e rigorosa, mas francamente… A palavra da camareira é, a rigor, tão boa quanto à do ex-executivo do FMI. Se fosse no Brasil DSK teria embarcado sem maiores problemas, o escândalo seria prontamente abafado (ou sufocado por outro com maior número de decibéis) e a camareira seria clicada pela Playboy num ensaio sensual como “a boqueteira”, à semelhança daquela que um dia foi “a fogueteira” e que faleceu recentemente.

      • João Canali disse:

        Fausto, um cara que é chefe de uma instituição financeira internacional, fala de cesta básica de moedas em meio a uma tremenda crise econômica mundial com diversos países ameaçando dar o calote e, ainda por cima, é serio candidato a presidência de um país importante que, pela primeira vez, está “colaborando” com sua mensalidade no club dos oito bolinhas… visita a Canalilandia… O que eu espero de meu serviço secreto? Que monitore cada passo desse camarada, com camaras, escutas e toda parafernália eletrônica que se tenha a disposição em qualquer lugar, inclusive seu quarto de hotel. Os caras existem e são pagos para esse tipo de coisa… Aliás isso não é crime, muito pelo contrário, denunciar alguém especificamente de pertencer a esse tipo de serviço pode ser crime, já que se de fato for, estaria-se colocando a vida do agente em risco. Paranóico, mas verdadeiro.

        Em quantas visitas anteriores DSK pagou camareiras prostitutas ou essa mesma nos dias que antecederam a denúncia? Puxa aí no banco de dados a ficha da moça… A quanto tempo estão na intenção de DSK? Qual a urgência de derrubá-lo? O momento foi aquele… Diante de todas essas variáveis, podemos imaginar diversas situações e só mesmo as pequenas aberrações no que foi noticiado é que nos servirão de pista…

        Enquanto isso em um país ao sul do equador…

        __ Foi o senhor que pediu o deslocamento da viatura pelo 190?
        __ Sim, eu sou o assistente de gerente aqui do Hotel Moletel. Tivemos um caso de estupro aqui.
        __ Positivo, eu sou o Sargento Wilson e esse aqui é o Cabo Dilson. Onde está a vítima?
        __ Está ali sentadinha dentro da recepção.
        __ É aquela escurinha ali? O senhor já chamaou a ambulância?
        __ Não, estava esperando vocês para saber o que deviamos fazer? Ela não parece muito machucada e não queremos escandalos…
        __ Positivo, vamos estar interrogando a moça e já vamos estar chamando a ambulância ou levá-la para a delegacia sem chamar a atenção.

        No caminho da recepção Wilson comenta com Dilson.

        __ Olha a pinta da vadia… Tá aprontando…
        __ Para com Wilson…
        __ Deixa Dilson…

        E após meia-hora escutando o relato da camareira…

        __ Minha filha, olha bem prá minha cara e vê se tem algum otário aqui… Tu tá querendo que eu vá atrás desse gringo prá ver se tu fatura um troco em cima do mané? Já não basta o mixe que faturou pelo boquete? Que conversa fiada é essa de estupro de boquete? Me aparece com esse vestido esporrado, uns arranhõzinhos de merda e acha que vai enganar quem? Qual é manezão que vai enfiar o pinto a força dentro dessa tua boca suja sem usar uma arma encostada na tua cabeça? Tu mesma acabou de dizer que o cara não tinha arma nenhuma, nem a faquinha de sobremesa do quarto… Vê se aprende a melhorar tuas mentiras. O cara enfia o pinto na tua boca até goza, você cospe a porra no vestido e sai para arrumar o quarto ao lado? Não faz barraco nenhum nos corredores e… depois de não sei quanto tempo vai procurar esse viadinho desse gerente…

        __ Wilson pega leve aí que o boiola vai acabar te escutando… Agora tem esse negocio de “homotropico” aí nas novelas, a gente tem que maneirar, temo que fingir que não reparamos quando vemos um viado.
        __ Dilson, deixa de falar besteira, deixa eu terminar com essa vadia aqui…
        __ Olha só… Vou fazer um negocio contigo. Vou te levar para a delegacia prá tu contar essa tua historinha prô delegado…
        __ Wilson, o pessoal da civil vai querer tirar dinheiro do gringo e nós vamos ficar de fora…
        __ Qual é Dilson? Vai me dizê que tu tá imaginando da gente ir no aeroporto com a vadia pra ve se encontramos o velho safado… Lá é jurisdição da Federal… Se a historinha dela ainda fosse boa a gente poderia faturar uma mídia chamar a Grobo e coisa e tal… Mas nós vai é passar vergonha se aparecermos com um caso desse.
        __ Fia te libero de te levar em cana por tentativa de golpe se tu fala com o gerente que tá tudo resolvido, que foi tudo um grande engano.

        E Wilson e Dilson resolvem mais um caso internacional junto aos turistas de Copacabana… Que mané NYDP que nada…

  2. cesarbarroso disse:

    João,

    Os chifres da sra. DSK já são conhecidíssimos em toda a França. Seu marido não esconde de ninguém que é um tarado sexual, acostumado a investir contra mulheres deprotegidas. O próprio Sakorzy, conforme o Times de Londres, lhe avisou sobre suas viagens aos Estados Unidos: “Lá os costumes são diferentes daqui. Sua vida estará sob uma lupa. Evite pegar o elevador sozinho com estagiárias. A França não pode se dar ao luxo de um escândalo”.
    O que Sakorzy não sabia, e certamente a Sra. DSK sabe, é que o homem é incorrigível, um obcecado que não mede as consequências quando o cérebro para de funcionar e só funcionam as bolas.
    Fico feliz que ele tenha dado sorte e atacado uma mulher que está com a vida cheia de problemas, que é o que se pode esperar de uma imigrante africana em Nova York. Quem já bateu as calçadas daquela cidade como eu, sabe que há milhares de mulheres como ela por ali, vítimas às vezes, vilães outras vezes, cercadas por gente de suas terras, cujos costumes bons e ruins foram transportados para a Big Apple.
    Mais uma vez DSK deu sorte, e me congratulo com ele, pois gostaria de vê-lo suceder a Sakorzy.
    O que aconteceu naquela suite de hotel, nunca ninguém saberá, pois será a palavra de um poderoso ricaço, embora reconhecidamente um tarado sexual, contra a palavra de uma pobre coitada.
    Se tivesse havido conspiração, se o FBI estivesse envolvido, a “vítima” seria melhor escolhida.
    O passado de uma pessoa pesa numa hora dessas. E ela tem um passado pesado que torna sua palavra sem crédito. Acho porém que os promotores deveriam insistir nas provas circunstanciais, caso contrário, pessoas com passado duvidoso se tornarão vítimas fáceis, o que se aplica a esse caso, muito embora DSK não o soubesse de antemão.

  3. cesarbarroso disse:

    J,
    Eu gostaria que uma investigação séria fosse feita sobre essa mulher. Agora estão acusando-a de prostituta. O NY Post é conhecido como imprensa amarela. Eu realmente gostaria de saber da verdade sobre essa mulher. Já não acho mais nada sobre ela, só gostaria de saber a verdade, e o FBI pode saber, se quiser.
    De qualquer forma, descobri porque a Sra. DSK está tão sorridente com a liberdade de seu marido: ela já não podia mais aguentar sozinha o apetite sexual desvairado de DSK, ao que ela não está acostumada. A coitadinha está toda assada. Agora, livre, DSK poderá dividir um pouco sua libido com as maids dos Hamptons.

  4. cesarbarroso disse:

    João,
    Há uma grande lição nesse affair DSK: não podemos continuar a mutilar o princípio de que alguém é inocente até prova em contrário. George Bush criou o princípio da “preemptive war”(“guerra preventiva”) e parece que a sociedade americana internalizou essa noção errônea e agora a aplica à justiça.
    Não podemos fazer justiça baseados em raça nem classe social. No caso de DSK ele foi linchado de antemão porque é rico e poderoso. A sociedade americana correu em socorro da pobre coitada da imigrante africana, como seu sua condição humilde fosse garantia de que estava falando a verdade. E eu fui nessa onda.
    João, acho que correr para explicações conspiratórias também é julgar sem levar em consideração os fatos, é virar as costas para o que realmente aconteceu naquela suite de hotel entre um homem e uma mulher. A Justiça precisa ser cega. Correr para conclusões apressadas, por mais lógicas que pareçam(“si non è vero è ben trovato”), só cria confusão. É não dar oportunidade aos fatos, e pode levar a graves injustiças. A Justiça precisa de isenção para ser aplicada.
    O que vejo nesse momento, é um corre-corre para o outro lado da balança, a demonização da mulher. A grande vítima disso tudo até agora foi DSK, e agora ela passou a ser a vítima.
    Não é possível mais fazer-se justiça baseada em fatos? Uma mulher de situação social inferior não pode ser uma golpista? Uma mulher mentirosa em muitas ocasiões não pode estar dizendo a verdade, de que ela foi realmente sexualmente atacada? Um homem com passado de tarado sexual não pode ter sido vítima de uma tramóia? Um homem rico e poderoso não pode ter mais uma vez se deixado levar por sua incontinência sexual e tentado violar uma mulher antes de ir para o aeroporto?
    Somente os fatos e circunstâncias podem ser usados para julgar esse caso. A polícia tem material suficiente em suas mãos para alimentar acusação e defesa. Vamos deixar que um júri decida se houve ataque sexual à mulher, ou não. Não é certo tirar a venda da Justiça e deixar que ela olhe para raça ou classe social. A Justiça, repito, precisa ser cega.
    O processo precisa prosseguir da forma mais isenta possível.

    • fbarbuto disse:

      Cesar,

      Realmente, esta estória toda está bem sortida de estereótipos e ad hominens… O colonizador branco, rico, poderoso e abusivo contra a colonizada negra, pobre e indefesa, todavia portadora de desejáveis características sexuais. De repente descobre-se que a pobre colona também pode mentir, pois eis que humildade e pobreza não dão certificado de honestidade a ninguém. A justiça americana terá muito trabalho pela frente, e os tablóides uma rica fonte de inspiração… Tempere esse caldo com muitos advogados bem pagos ou ávidos por 15 minutos de fama e deixe no forno por algumas semanas, depois sirva. Está pronto um prato com sutil sabor de verdade inatingível. Uma pizza do Brooklyn?

      E por falar em cega, aqui está alguém que gostaria muito de ver uma foto desta mulher camareira. Procuro em todo lugar mas, ou nada encontro (nem no site da CNN tem uma… eita…), ou encontro várias fotos de mulheres diferentes, todas africanas, mas nenhuma é a mesma (talvez porque o nome Nafissatou Diallo seja muito comum na África… se é que é esse mesmo o nome da mulher). Minha mulher jura que viu uma foto dela na TV, meio de passagem, mas vai que ela se enganou?

      • Cesar Barroso disse:

        Fausto,
        Acho que essas duas fotos são da pessoa certa: http://www.nairaland.com/nigeria/topic-671726.0.html
        Ela não é feia, e há muitos europeus que sentem atração por mulheres negras, como atesta a miscigenação racial em todos os países em que houve escravidão negra.
        Hoje a jornalista francesa que disse ter sido atacada por DSK em 2003 entrou em Paris com um processo contra ele. Atrasada, eu diria, mas certamente enraivecida porque o processo americano se esfarela.

      • João Canali disse:

        Cesar, a coisa está difícil… Estamos com 3 camareiras (a que eu trouxe da primeira vez e essas duas aí desse site)… Nesse outro site indicado pelo link que você trouxe, temos uma confirmação da imagem da primeira foto… http://www.republicreport.com/imf-sex-scandal-photonews-32-year-old-nafissatou-diallo-is-victim-of-arrogant-imf-chief-strauss-kahn-reports-alleged/ que está em preto e branco. Mas, ou ela fez plástica no nariz (o que não é incomum) ou essa da foto de baixo, aparentando ser bem mais nova, é sua filha de 15 anos ou qualquer outra adolescente (temos um inconsistência ai em função da qualidade das fotos). Como é praxe a não divulgação de fotos de vítimas de ataques sexuais… Vamos ficar sem ter muitas certezas…

      • João Canali disse:

        Fausto, eu já publiquei a foto dela aqui no blog e já afirmei isso em um dos comentários dessa série, especificando que era a mulher de cima, no meio, na primeira matéria a respeito do assunto “Em Defesa dos Pegadores (ex pecadores). Capturei a foto logo no segundo dia da notícia. Evidentemente que não tenho como ter certeza, mas foi numa surfada por imagens em um site europeu. Por favor, mostre a foto a sua mulher e peça confirmação, é só dar um scrool down no blog. As demais mulheres que aparecem naquela foto-composição são de fato de Guiné, fiz uma busca direcionada para fazer uma gozação bem feita da situação, para ilustrar um possível gosto extravagante de DSK….

        Antes de falar das novidades no caso, desejo comentar que o mesmo foi invadido desde o início pelos que se deixam levar pelos cantos da sereia do politicamente correto, do bom mocismo, da tradicional pieguice que envolve a apreciação de um conflito que envolve o rico (um eterno vilão) e um pobre (que nesse caso ainda vem com o karma do problema de gênero e raça). E isso foi em toda parte, como bem atesta esse blog da Veja ( http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/vasto-mundo/strauss-kahn-quero-ver-agora-a-cara-dos-linchadores-de-reputacao/#comments). O grande problema com o politicamente correto é que ele é fundamentalmente, como diria o Nelson Rodrigues, um “idiota da objetividade”, o ingênuo que acaba por embotar a discussão de onde devem surgir naturais suspeitas… Esse caso só tem importância pela trama envolvendo grandes potências e seus jogos de interesse que afetam a todos nós; como caso policial ou pessoal é fraco… preferiria falar do aluno que foi flagrado com a professora em um motel da baixada fluminense recentemente, pelo marido desta… Aí sim temos humanidade envolvida e não falsificada por interesses diversos para os nossos comentários pessoais. A questão do estupro oral era uma aberração desde o início… mas a “coitadinha” poderia ser constrangida a isso por força de um rico poderoso e tarado… Acho também, por outro lado, que a função tablóide ou, mais modernamente, conspiraCIAnista, também cria confusão e pré-julgamentos, mas, é a única voz da resistência para que possamos refletir contra o valor de face do que o establishment dá de comer a todos nós através de uma mídia obviamente manipulada por anunciantes (os governos são sempre os maiores anunciantes, Lula não nos deixa esquecer) e cerceada por leis que a ela atinge com maiores rigores.

        Dito isso, a nova do caso: A jornalista/escritora francesa que teria sido abusada ou sofrido tentativa de estupro por parte de DSK, resolve entrar com um processo na França contra o dito cujo. Imediatamente, o partido socialista francês – diante dessa nova bateria de disparos – dá indicações que não levará avante sua candidatura…

        E você, Fausto, concordava com o Cesar quanto a fraqueza de um possível complô… Será que agora não fica claro porque as investigações em New York tiveram um fim tão rápido (e isso está até custando a cabeça do chefe dos procuradores do estado… claro que tem gente estranhando tudo isso… ingênuos vendo somente o valor de face da situação em função do noticiário… Tanto tempo assim para concluir que a camareira era só mais uma hooker querendo dar um golpe… Devem estar afirmando na reclamação…)??? Custa imaginar que já sabiam de ante-mão que não precisavam segurar a coisa por mais tempo, que outra bomba anunciada já estava pronta para estourar? Talvez nem precisem acusar DSK de participar de atos de prostituição, pagando mais um mico internacional, lembrando o falso-moralismo que ainda viceja nos EUA.

        Agora Fausto, podemos também lembrar que além da inverosimilhança da polícia ir “catar” DSK dentro do avião, diante a inconsistência das acusações de uma camareira contra um figurão com provável imunidade diplomática… Temos também o estapafúrdio caso do advogado “de porta de hotel” que vai a França clamar para que francesas ex-vitimas das lascívias de DSK se apresentassem para que ele pudesse substanciar seu causídico contra aquele personagem… Ou seja, o que está acontecendo agora é uma espécie de plano B, de reforço, a saideira anunciada e preparada pela ida do tal advogado a França… sementes no ideário da opinião pública…

      • fbarbuto disse:

        Cesar,

        As fotos das duas mulheres que você publicou aqui — e que definitivamente não são da mesma pessoa — eu já tinha encontrado no Google, assim como aquela que ilustra seu artigo “Em Defesa dos Pegadores (ex-pecadores)”. Aí é que está, há uma aparente abundância de imagens mas nenhuma parece ser da “vítima”.

        Canali,

        Francamente, não sei mais o que pensar. Houve complô? Não houve? Apenas uma grande embora conveniente (pra desestabilizar a candidatura do Strauss-Kahn) lambança das três partes envolvidas (DSK, a camareira e justiça americana)? Será que o serviço secreto e a polícia estavam só aguardando atrás da moita porque sabiam que mais cedo ou mais tarde DSK iria pisar na bola? Só o tempo irá dizer.

      • João Canali disse:

        Fausto, compreendo suas dúvidas, mas a única delas a qual a resposta me parece fácil (além de tudo que já falei vestindo a camisa da conspiração) é quanto a moita… imaginando as autorizações necessárias para uma operação dessas, ela teria que ser induzida… pelos tempos hábeis envolvidos nos fatos ocorridos… ou seja, a isca foi posta, se ele não mordesse ia embora ser presidente da França… ou sofrer um acidente naquele mesmo tunel onde morreu a princesinha… esses caras estão muito evidentes… 😉

        P.S.: Acredito que vão mostrar a foto da camareira, principalmente se o resultado final do processo for dar ela como culpada de uma tentativa de golpe… Havendo frustração da atual curiosidade, esta seria substituida por desconfiança, não querem isso.

  5. Cesar Barroso disse:

    Fausto,
    Acho que as fotos são da mesma pessoa, talvez com alguns meses de diferença. Interessante que os brincos parecem os mesmos…

    João,
    A sua teoria conspiratória cai na mesma vala do politicamente correto e do ingênuo, porque você quer forçosamente encaixar um fato humano dentro de uma teoria conspiratória. Você simplesmente dogmatiza a teoria, e não dá espaço para a miríade de conjunturas que acompanham as ações humanas. Quando um fato se encaixa dentro de uma possibilidade conspiratória, você coloca nele uma camisa de força, e não há poder nesse mundo que faça você dar uma chance ao azar.
    Nem tudo o que reluz é ouro, nem tudo o que balança cai.
    As prisões estão cheias de inocentes que deram o azar de uma teoria se encaixar perfeitamente nas suas ações, e um grupo de jurados terem se deixado enganar pela teoria. Felizmente muitas dessas pessoas estão sendo colocadas em liberdade com os avanços da ciência forense.
    Os fatos têm que ser checados com cuidado. Os depoimentos têm que ser analisados em detalhes. A cena do crime tem que ser estudada por experts.
    Antes de tudo isso ser feito, os ingênuos, como eu, e os teóricos, como você, só fazemos viajar na maionese…

    • João Canali disse:

      Cesar, você escolheu um momento errado para falar de minhas teorias, veja lá a data do meu primeiro post acerca desse affair, “Em defesa dos Pegadores…”. Ao que eu saiba eu fui um dos primeiros na Internet internacional a rejeitar peremptoriamente a versão que estava sendo vendida e os fatos recentes comprovaram que ao menos em parte do que eu sempre afirmei, aquilo era uma farsa, da camareira ou de serviços de espionagem, como creio… Para o que vou dizer nos próximos parágrafos, tanto faz… Nesta mesma ocasião, você pegou a mesma versão e a aceitou inteira pelo valor de face, sem nada desconfiar e posicionou-se com um discurso ad hominen condenatório do comportamento dos poderosos contra as pobres coitadas do mundo. Quem contribui ou acrescentou mais para o entendimento dos fatos do ponto de vista do leitor que leu nossos comentários?

      Queremos estar mais próximos dos fatos ou apenas a versão que nos interessa para consubstanciarmos nossa visão particular e “original” do mundo? Desculpe, discordo de uma vala comum entre “conspiracionistas” e “politicamente corretos”, vejo mais uma ação complementar ou dialética, do tipo tese e antítese. Os teóricos da conspiração exercem uma função muito parecida com a de uma oposição em um parlamento, estão ali para desconfiar, suspeitar, indagar e denunciar, mesmo que sem provas, apenas na base da lógica, muitas vezes sua única arma (e desse instrumento que devem sempre estar cuidando e respeitando, vivo desmistificando teorias mal construídas), sem eles, que muitas vezes se confundem com a imprensa sensacionalista, não haveria crítica e pensamento independente… O certo seria ficarmos sempre esperando a versão final veiculada pela grande imprensa para tecermos considerações finais? O status quo não mudaria nunca, ainda estaríamos na Idade Média… e olha como foi difícil transpô-la. Pior.. que mundo chato seria esse sem as polêmicas…

      Já os politicamente corretos, não são necessariamente defensores do sistema ou chapas-brancas natos aceitando o valor de face de tudo que lhes é dado a acreditar pelo establishment ou a tão sempre comprometida grande imprensa (da qual dependemos para estar aqui comentando, isso é o mais triste de reconhecer…) O problema com eles é que julgam os fatos a partir de seus interesses em condenar ou aplaudir, algo muito próximo ao pensamento do torcedor de futebol, onde o valor intrínseco da verdade é relativizado em função de sua visão partidária ou preestabelecida. Como tudo que temos para condenar ou aplaudir é mais ou menos engessado pelo senso comum da cultura, o politicamente correto não acrescenta nada ao que já foi dito, só complementa, só colore o desenho que lhes é dado pela professora, pela imprensa ou pelo sistema.

      O conspiracionista contesta o desenho que querem que as pessoas coloram… e claro, muitas vezes cometem equívocos e erros, pois desconfiar é uma arte intuitiva, logo passível de falhas e até mesmo de leviandade… Alguém tem que fazer isso no jornalismo, caso contrário seria um marasmo total, ótimo para ditaduras de corruptos. Contudo, posso lhe garantir, usando emprestado o seu exemplo, que tem muito mais gente livre de injustiças devido a boas teorias de advogados e detetives que desconfiaram de uma leitura simples dos fatos ocorridos do que presos e condenados pelo apressado linchamento dos politicamente corretos.

      Infelizmente, nesse caso do DSK, dificilmente teremos um total esclarecimento dos fatos… Terei que me contentar com os pontinhos (mesmo que não os me creditem) obtidos até agora, insuficientes para uma comprovação total do que tenho colocado. Dessa vez Dunga não perderá a Copa dando um show de destempero que comprovaram seu despreparo pessoal para o cargo que pretendeu ocupar… Mas, esteja certo que serei o primeiro a mudar meu ponto de vista, caso fatos novos ocorram envolvendo esse caso, fatos que me façam repensar minhas atuais suspeitas. Pode não parecer, mas a minha diversão é compartilhar o encontro da verdade (digamos que isso seja apenas uma sensação de consenso), mesmo que seja aos trancos, conspirações e barrancos. Que o leitor do blog aproveite para fazer a sua síntese.

  6. Cesar Barroso disse:

    João,
    Sem dúvida você foi um dos primeiros a levantar suspeitas, eu diria até que numa reação justa à atuação truculenta e sem sentido da polícia de Nova York. Só acho que você foi longe demais, imediatamente reduzindo tudo a uma teoria conspiratória. Você não deixou espaço para o trabalho sério de investigação, que, pelo jeito, será abandonado, diante das afirmações desencontradas da camareira, o que para mim não são suficientes para tirar o mérito do caso. Pela segunda vez, nesse caso, a polícia troca os pés pelas mãos.
    A minha suposição de que tudo seria decidido por detrás dos panos parece que está se configurando. Essa mulher está muito calada. Terá recebido um cala-boca? Onde estão as provas recolhidas pela perícia no local? E os machucados em ambos os envolvidos, que certamente foram fotografados pela perícia?
    Tudo está sendo tratado com leviandade, de maneira a incentivar o comportamento de tarados. Essas coisas a gente só percebe realmente quando a vítima é nossa mulher ou nossa filha.
    A mãe da Tristane Banon, que em 2003 impediu que a filha abrisse processo contra DSK, agora apoia a abertura de processo. Plano B ou Plano C? Porque você tem que meter outra teoria conspiratória no caso? A mãe de Tristane é do mesmo partido do que DSK. Analise um pouco mais fundo e veja que o que pode estar movendo as duas é a frustração. A Tristane certamente estava se sentindo vingada pelo processo em Nova York, e de uma hora para outra, tudo está virando pizza. Ou tudo, João, preciso ter um motivo político? Não existem mais os sentimentos de raiva, frustração, injustiça, para mover o ser humano a uma reação?

    • João Canali disse:

      Cesar, as suas considerações partem de uma fotografia (estática e do melhor ângulo do ponto de vista do fotografo, como toda a fotografia) que mostra a crença que seremos informados de tudo o que acontece. Podemos de fato acreditar totalmente no noticiário? Ou nas investigações que ele acompanhará? Compreendo que a alternativa é debulharmos “tudo” e corrermos o risco de pegar vários bondes errados… Já existem até desconfianças do tipo: Por ser DSK um judeu (ativo defensor de Israel em diversas ocasiões), estaria sendo “ajudado” pelo aparato jurídico-legal americano que em Nova York é predominante… esquecendo-se eles que se fosse por esse lado ele estaria solto no dia seguinte devido as óbvias inconsistências da acusação… Quantos dias seriam necessários para um sistema jurídico hipoteticamente dominado por judeus se dar conta que estupros orais sem a presença de armas é uma aberração conceitual ou mesmo para analisarem a ficha da moça e lá verem que havia um antecedente de acusação de estupro (Cesar, isso se faz em questão de minutos hoje em dia…) e daí concluírem em bases totalmente legais que poderiam liberar alguém (um judeu) com tantas responsabilidades, em meio a uma grave crise financeira internacional, mesmo com o processo em andamento… Não. Isso só aconteceu depois que estava assegurado que ele tinha perdido o cargo e se arruinado moralmente para pretender ser o novo presidente francês. Além de “estar na cara”, foi o que aconteceu. Não invento nada neste vídeo.

      Você insiste em querer ver esse caso pelo seu possível lado humano e deve até estar achando mais interessante o julgamento dessa menina acusada de ter matado a própria filha, que a mídia americana empurrou para as massas consumirem (aliás como fazem todos os anos)… Você é fotografo Cesar, quer imagens estáticas que definam tudo e eu sou cinegrafista, quero filmar diversas sequências para depois editar e até quem sabe contar uma história com as imagens obtidas. Obviamente que sou dependente de bons e maus enredos e por eles admito ser criticado.

      Em nenhum momento você parou para considerar DSK como o chefe do FMI e favorito as próximas eleições presidenciais francesas, como um elemento ultra importante para a segurança nacional norte-americana. DSK aventou a possibilidade de uma nova moeda única (não sei se você acompanhou um post passado nesse blog, onde eu e o Max discutíamos sobre o ouro como lastro, Breton Wood etc… em meio aos comentários trocados eu trouxe um link do Wikipedia que deixava perfeitamente claro a importância para o domínio americano no mundo – ou sua segurança – a imposição de sua moeda como a moeda global…) que, na verdade, é o futuro que luta para chegar… Ontem, assumiu a nova chefe do FMI prometendo uma reforma ética onde chefes do FMI, além de serem pessoas absolutamente “ficha-limpa” não podem participar da política de seu país de origem, ou seja, serem politicamente neutros (não terem nenhuma proposta ou agenda), meramente técnicos administrativos… Isso dentro da visão que foi estipulada (imposta evidentemente) no pós-guerra que o chefe do Banco Mundial seria indicado pelos americanos e o FMI por europeus… E pensar que todo o caso DSK aconteceu na semana seguinte a notícia de que Hillary Clinton cogitava sair do seu atual cargo no Departamento de Estado para ir chefiar o Banco Mundial… Depois do caso DSK ainda temos a informação que a França estaria fornecendo armas aos rebeldes líbios as escondidas, desobedecendo as ordens da ONU… ou seja, se envolvendo mais ainda naquele conflito onde nitidamente assume o papel militar que os americanos não podem (politicamente) assumir nesse momento… Os brigadeiros da FAB deveriam até aproveitar a oportunidade para melhor avaliarem o desempenho dos pretendidos Rafales que estão sendo usados na Líbia… Dão muita manutenção? São uma boa plataforma de bombardeio? Tudo isso significando a importância da França e seus atuais lideres (sempre lembrando que, tradicionalmente, a França se nega a participar das manobras militares do ocidente em função de sua opinião pública, políticas nacionalistas, etc. Entrou e saiu da Otan umas duas vezes…) para o país onde DSK é preso em função de uma arapuca criminal.

      Ou seja… O caso DSK pode perfeitamente ser uma pequena batalha (quase um ato de desespero ou de truculência, diria eu…) dentro de uma grande guerra e o fotografo reclama do cinegrafista por pretender filmar todas as possibilidades que a cena oferece!!! O fotografo quer fotografar a cara do poderoso abusado, do tarado impune ou da coitadinha da vitima negra e de reações e fatos humanos que existem evidentemente, mas que são apenas cenários, meros figurantes de uma trama que pode ser (ou não ser, não importa, filmarei) muito maior.

  7. Cesar Barroso disse:

    João,
    Eu sou fotojornalista. Mostro a foto e escrevo a história. O vídeo não deixa o homem parar para pensar. Daí, a grande força da fotografia. Mas não é isso que vem agora ao caso.
    Para mim, essa história do DSK e da Casey Anthony trazem uma grande lição (me compraz saber que ainda sou capaz de aprender grandes lições): para o bem de minha mente, é melhor ser muito cuidadoso com os fatos que recebemos através da imprensa.
    A imprensa está passando por uma fase negra que nada mais é, aliás, do que a repercussão da fase negra da sociedade. A falta de cuidado dos jornais americanos no tratamento do caso DSK; a estupidez da mídia americana, principalmente das TVs a cabo, que levou ao mais horrendo veredicto da justiça americana, colocando em liberdade uma mulher que, se não assassinou a própria filha, deixou que ela fosse assassinada; e agora o News of the World que haqueou o telefone celular de uma moça desaparecida e de familiares das vítimas do ataque terrorrista a Londres, colocam a imprensa na mais vil sarjeta. Eu mesmo sou testemunha, em minha recente viagem a São Paulo, para tratar com editores, que antes de informar corretamente os leitores e ser verdadeiro, há muitos outros interesses a se atender. Por tudo isso, prometi a mim mesmo ser muito mais comedido em minhas reações ao que esses vendilhões do templo colocam na minha frente.
    Volto a afirmar que nem tudo o que reluz é ouro, e que nem tudo o que balança cai.
    Acho, João, que estamos em extremos e que o seu extremo é tão errado quanto o meu. De longe, ninguém pode afirmar nada com certeza, e você quer por força, sem ter detalhes, vestir nos fatos a camisa de força de suas teorias conspiratórias. Eu não nego a possibilidade de sua teoria conspiratória ser o que realmente aconteceu, mas não posso, nem você, afirmar com certeza, só pelo fato de ela ter tintas de verdade, que ela seja a verdade dos fatos.
    Essa Casey Anthony está nas ruas, ou quase, porque criaram-se miríades de teorias sobre a sua culpa(todas elas com muita aparência de verdade), que os promotores públicos foram coagidos pela imprensa a pedirem a sua pena de morte, ao invés de se concentrarem nos fatos e nas provas circunstanciais. Tudo indica que ela matou a própria filha com cloroforme e também a sufocou com tape. Tudo indica… mas vá saber, vá provar. O júri não caiu no embuste que a imprensa criou para os promotores, e agora uma mulher com culpa de pelo menos ter sido omissa na morte de sua filha está solta.
    Como você, acho que muita coisa nessa história do DSK é esquisita, como a reação inicial do prefeito Bloomberg(ele também judeu). Mas não podemos esquecer que não apenas DSK foi imediatamente tido como culpado pela imprensa e público americanos. Aqui nos Estados Unidos, há essa neurose sexual que trata como culpado qualquer pessoa acusada de estupro e assédio. O clima nessa área é de Inquisição: todos são culpados até que provem o contrário. Por esta razão, não queira colocar o caso de DSK como um caso à parte, porque não é.
    Acho, João, que você exagerou, não nas suas assunções, mas na maneira cega de defendê-las como necessárias, não deixando lugar para o fator humano. Por mais lindas que pareçam, as teorias podem se esfarelar por causa de miríades de possibilidade criadas pela vontade humana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s