A Minha Teoria


(revisado a pedidos…)

Estou me sentindo complexado… Como é que em meio a tantas teorias conspiratórias o meu Blog Teorias não está apresentando alguma coisa criativa e realmente que dê o que pensar?! Não, não vou me abater diante essa nova técnica de despiste da verdade… Sim, está mais do que evidenciado que diante um mundo com tanto Wikileaks, uma profusão inimaginável de câmaras e escutas eletrônicas e imaginativos alcagoetas de todo tipo e perfil espalhados mundo afora pela Internet, quem tem algo a esconder passou a fazer comunicados desconexos que a todos confundem. A Casa Branca, que possui a maior caixa preta de segredos desse planeta, está agindo assim desde o episódios de revolta no mundo muçulmano, passando pela ambigüidade de posturas na Líbia e aterrizando agora na morte do Bin de Abbottabad. No popular: cada hora diz um treco diferente. E essa cortina de fumaça é eficiente toda vida… Se alguma teoria aparecer com a verdade, ninguém vai acreditar… Apesar de ter gente que acredita em tudo… Vamos a uma pequena lista de teorias conspiratórias… Eu garanto que em alguma delas o nosso leitor acreditará…

1 – O cara que matou o Abraham Lincoln não morreu… Essa é uma das primeiras teorias conspiratórias do mundo moderno e parece até que andaram desenterrando a ossada do presunto que se supunha ser ele e o teste de DNA deu negativo com parentes ainda vivos.

2 – Roosevelt sabia que os japoneses iriam atacar Pearl Harbor (e mandou os porta-aviões saírem de lá para fazer manobras) e não fez nada porque precisa de um pretexto para declarar guerra ao Eixo, coisa que os americanos não queriam já que não tinham ganho nada com o salvamento que proporcionaram na Primeira Guerra, muito pelo contrário, aquela guerra deu prejuízo e um monte de mortes.

3 – A única que o Brasil entra, listo aqui porque só serei mais americano que brasileiro se conseguir acender um cigarro quando fizer 81 anos… (explico: vim residir nos EUA com 40 anos…) Eu acho difícil contrariar tanto assim a medicina moderna e os chatos hipocondríacos… Enfim… Foram os americanos e não os alemães que afundaram os naviozinhos brasileiros com seus submarinos… Os alemães não gastavam torpedos (carregavam poucos torpedos, nos modelos de maior capacidade, no máximo 14) com barcos desarmados, principalmente, em ataques noturnos… O célebre 88mm que levavam na proa dava um tiro a meia nau… Todos os diversos navios brasileiros afundados foram atingidos por torpedos. Outra, só afundavam cargueiros indo em direção ao Atlântico Norte… alguns dos barcos afundados eram de passageiros indo do norte do Brasil para o sul maravilha, eram barcos pau-de-araras… Em tempo: Assim procederam para que os brasileiros culpassem os alemães, entrassem na WWII e cedessem as bases do nordeste brasileiro que eram próximas o suficiente da África do Norte para permitir o vôo de seus aviões (naquela época o problema do alcance de vôos diretos em função do combustível era crucial)  e darem o suporte necessário as tropas que combatiam Rommel que, naquela altura, por coincidência de nossos tempos, tinha a Líbia sob controle e ameaçava tomar o Egito (na verdade o plano alemão era fazer um grande movimento de pinça e pegar os russos pelos Urais, soube-se depois… a questão de controlar o petróleo da região surgiria muitos anos depois… como infelizmente hoje sabemos…). Subjacente a essa teoria temos que a tal tomada do Monte Castelo foi um desperdício de vidas, os americanos teriam dito aos brasileiros que bastava deixa-los cercados com bombardeioss diários, que o controle do espaço aéreo da região seria obtido em poucos dias e eles não poderiam mais receber os suprimentos que lhes eram lançados pelo ar pela Luftwaffe… Mas, o Marechal Mascarenhas de Moraes quis a gloria de vencer uma suposta grande batalha e mandou os pracinhas serem lambidos pelo fogo rápido das Lourdinhas (MG 42) dos alemães.

4 – Uma teoria conspiratória esquecida e morta… Muitos não acreditaram nas Bombas Atômicas  usadas pelos americanos em Hirochima e Nagasaki… achavam que era propaganda de guerra, que talvez fora uma bomba regular… Precisou circular, anos depois, nos cinejornais que antecediam os longa-metragens, as imagens do filme feito durante os ataques as duas cidades, para que a teoria do bluff atômico morresse de vez. Não, ninguém achou que fora uma trucagem de cinema ou fotomontagem, aquilo estava distante dezenas de anos de qualquer Photoshop e os efeitos especiais no cinema eram fraquíssimos, se compararmos com os atuais.

5 – Quem mandou matar Kennedy (morto por um segundo atirador) foram os cubanos (por causa da crise dos mísseis), os russos (por conta da Guerra Fria), a máfia (por causa das investigações de Bob Kennedy) e a indústria farmacêutica (ameaçadas pela quebra de patentes de remédios e investigações… Meu pai apostava todas as suas fichas nessa…). Conclusão: O mandante foi um barbudo gordo, com um sotaque pavoroso que fumava charuto, bebia uma batida de vinho com vodka enquanto se entupia de bolinhas.

6 – O homem não foi a Lua, foi tudo truque de cinema… A bandeira tremulou, foi vento no estúdio, vacilo da produção, o Hans Donner era muito jovem e inexperiente… O chão da Lua não treme e lá não há vento. Só quem foi a Lua foi São Jorge… ah… e o dragão também… e obviamente fizeram propaganda para os americanos… a mando da CIA, of course.

7 – Elvis não morreu. A CIA o escondeu em algum lugar secreto… Como não conseguiu emagrecer ou parar de ficar doidão, nunca mais mostraram ao mundo o mau exemplo.

8 – Os republicanos plantaram Mônica Levinsky no gabinete de Clinton para que ele pudesse ser chantageado e liberasse os controles sobre Wall Street e não apoiasse Al Gore como devia.

9 – O intuito principal de quem financiou a fraude eleitoral que colocou Bush no poder era reajustar o preço do barril depois de 20 anos de estabilização. Essa eu assino em baixo.

10 – As Torres Gêmeas foram emplodidas (elas não poderiam cair daquela forma, estavam dinamitadas…) por judeus da especulação imobiliária, pela CIA, por judeus do Mossad e os aviões foram conduzidos por controle remoto pela CIA… Aqui, já com a Internet funcionando a pleno vapor, as teorias chegaram a seu ápice… Ah, péra aí… O Pentágono foi atingido na verdade por um míssil que eu suponho só possa  ter sido lançado por quem? por quem? Um doce para quem advinhar… Claro, pela…. CIA. Obviamente que nem discuto que o avião que caiu na roça e que supostamente iria para a Casa Branca foi derrubado por um caça… Para preservar o piloto do caça e todos ficarem pensando que as defesas aéreas americanas com tantos milhares de caças é fraquinha, além de resolverem criar mais heróis além dos bombeiros de Nova York, os passageiros daquele voo que nada poderiam contradizer.

11 – As armas de destruição de massa do Iraque eram na verdade armas de conspiração em massa… Mas, desse episódio tiramos uma grande lição, quase que um antídoto para teorias conspiratórias mais levianas ou transloucadas… Ninguém duvida, nessa altura do campeonato, que aquilo foi uma armação para justificar o ataque ao Iraque. A turma de Bush e Dick Chaney conseguiu manobrar uma série de elementos sob seu controle político para transformar informes sabidamente imprecisos e irrelevantes no pretexto que precisavam, mas, foram incapazes de mandar poucos agentes plantarem um punhado de urânio ou mesmo de antraz, que pode ser produzido até mesmo em países de baixo teor tecnológico e assim justificarem perante ao público interno e externo a existência de armas de destruição em massa que justificaram falsamente aquela guerra que tanto desgaste político trouxe a eles e ao país… Ora, são capazes de mandar pilotos jogarem bombas em alvos onde se sabe que civis inocentes serão atingidos, por que não seriam capazes de um truquezinho tão simples como esse? Porque a maioria das ações que imaginam ser possíveis na maioria das teorias conspiratórias envolvem um grande número de pessoas em uma ação ilegal ou de enganação da opinião pública. Todo e qualquer velhaco, principalmente, aqueles que conseguem chegar a presidência da república (há exceções notórias, aliás no próprio Brasil mensaleiro…), sabe que não pode imaginar ficar livre de risco ao mandar honrrados e/ou outros velhacos executarem ações ilegais ou de uso indevido do poder. Chantagens, a riqueza proporcionada por livros, desejos não atendidos, a queixa de quem se achou preterido do botim, má remuneração, vontade de aparecer, vaidade, entrevistas e, principalmente, o sentimento de culpa irão um dia denunciar os mandantes, o Wikileaks é só um pequeno exemplo… Colin Powell, Roberto Jefferson encabeçam exemplos recentes. As grandes e pequenas falcatruas são operadas com poucos cúmplices, dentro de limites quase que legais, da mesma forma como buscam pretextos para guerras com causas inconfessáveisl.

12 – Foi um dos sósias de Saddan que foi enforcado. Bom, o fato é que ninguém na mídia deu conta do que aconteceu com os sósias de Saddan… Entrevistá-los renderia uma baita audiência… Algo que dá prestígio ou dinheiro não acontecer… é porque tem algo estranho ou ilegal para explicar.

13 – Mataram Osama Bin Laden… Informaram a um grande cultor de teorias conspiratórias…
__ Impossível.
__ Por que? Lhe perguntaram.
__ Não se mata quem não existe. Osama é uma invenção da CIA, nunca existiu.

A lição disso tudo é que vivemos em um mundo de ilusões onde nas escolas não se ensina que deuses não existem de forma direta, apenas indiretamente a cada vez que se fala de historia da humanidade e de ciências naturais. O que isso está criando na cabeça das pessoas? Basicamente isso acontece a poucas se não à apenas uma geração. Sabemos que humanos não são confiáveis, que governantes são obrigados a mentir para obterem apoio e se manterem nos cargos que ocupam, assim como a mídia come nas mãos dos anunciantes. A imagem de poder é odiada por todos aqueles que se julgam incapazes de obter o mesmo poder. Na verdade, desconfiamos do que não queremos que seja verdade e acreditamos naquilo que nos agrada. Correndo por fora, intuitivamente, sabemos que nos tentam enganar o tempo todo para nos vender algo ou alguém. Quanto menos deixemo-nos enganar, menos impotentes seremos… Portanto, haja teorias conspiratórias… O incrível é que o país onde mais se cria teorias conspiratórias é o próprio EUA, a coisa não se explica apenas pelo anti-americanismo (que acontece a esquerda e a direita) corriqueiro em todo o mundo.

P.S.(1): Ufa…E abri esse post para simplesmente falar de minha teoriazinha… Que o helicóptero que usaram era um Black Hawk com motor elétrico… Só havia bateria para chegar ao alvo, mas totalmente sem som, condição única para possibilitar um assalto surpresa como a situação pedia… Isso explicaria terem como back-up da operação dois helicópteros de carga, os Chinooks. O “elétrico” chegou na frente e despejou os soldados do ataque surpresa, em seguida veio o “ruidoso”, a motor a combustão para fazer o reforço depois da situação deflagrada sob o manto da surpresa e, também, enfrentar alguma resistência maior que pudesse vir de alguma patrulha saída dos quarteis paquistaneses ali perto. A desculpa de destruírem o “acidentado” aparelho (caramba, se em uma missão dessa importância não conseguem fazer uma manutenção perfeita, está na hora de trocar pilotos, mecânicos e equipamentos…) era porque ele teria tecnologia stealth, a mesma dos F-117… Os Chinooks que atravessaram o mesmo espaço aéreo… também? Não… Minha teoria foi que a destruição do UH-60 elétrico já estava planejada e com os explosivos já instalados para destruir o motor elétrico e as bateriais, assim como demais equipamentos sencíveis… Um helicóptero elétrico seria o sonho de qualquer tropa de assalto das “zelites”… Agora, quem será que vendeu os radares do Paquistão? Perguntinha chata para seus fabricantes né?

P.S.(2): O uso de um helicóptero elétrico simbolizaria muito mais do que uma arma secreta e a necessidade de se manter segredos e cortinas de fumaça… Significaria que a tecnologia que nos livraria de todas as atuais e possíveis futuras batalhas e guerras já está presente fazendo história. Como disse, toda teoria é uma expressão de nossos desejos.

Anúncios

Sobre João Canali

Jornalista brasileiro e norte-americano residente em Miami, produtor e apresentador do Seriado Teorias (You Tube).
Esse post foi publicado em Política Internacional. Bookmark o link permanente.

7 respostas para A Minha Teoria

  1. cesarbarroso disse:

    João,
    A sua teoria é a mais convincente. Como pode um helicóptero desses falhar nessa hora tão crucial? Helicóptero tem nervos de aço, não fica nervoso.
    Outra que eu não acredito é que o Paquistão não sabia do ataque. Claro que sabia. Os Estados Unidos não correriam o risco de ser interceptados.
    Deve ter havido uma conversa mais ou menos assim nos mais altos escalões:
    Estados Unidos: “Escuta aqui, Paquistão, nós sabemos que vocês estão dando proteção ao bin-bin lá em Abbottabad. Nós vamos lá matá-lo e vocês não apenas ficarão quietinhos, como nos darão proteção, se preciso. Caso, contrário, fecharemos a torneira daqueles bilhões que anualmente damos a vocês para alimentar sua corrupção interna”.
    Paquistão: “Sim, sinhô, sim, sinhô…”
    Mais simples e direto, impossível.

    • João Canali disse:

      Cesar, o mais curioso é que seria mais uma funesta coincidência de fatos envolvendo helicópteros defeituosos… Se Carter tivesse sido bem sucedido naquela missão de resgate dos reféns da embaixada americana em Terã, muito provavelmente teria se elegido para um segundo termo… Foi o defeito nos helicópteros que levava a tropa de assalto – na época falou-se que foi a areia do deserto que ocasionou o defeito nos aparelhos – que fez abortar a missão… um grande fracasso que os republicanos souberam aproveitar… Afinal como se explicar que a nação que levara homens a Lua, com armas para destruir o planeta inteiro 35 vezes, recém saída da Guerra do Vietnã onde supostamente todas as armas haviam sido testadas e treinadas, ainda em plena Guerra Fria, não saberia levar soldados sobre um deserto terrestre… nem chegaram a entrar em combate na embaixada… Reagan entrou e sob fazer o dever de casa diante o machismo guerreiro que perseguiu esse pais em todo o século XX e início do XXI, mesmo antes de lutarem pelos interesses de suas grandes companhias multinacionais ou agora, nessa última fase, lutando pelas últimas gotas de petróleo no pescoço planetário, a garantia de seu fluxo e estabilidade de preços bons para suas autofágicas oil sisters.

      A idéia sobre o helicóptero elétrico nasceu de um que existe e está aqui em casa. Outro dia a brincadeira era ver quem pousava-o na pá do ventilador do teto… Armas sempre estiveram a frente no uso de novas tecnologias… Mísseis antecederam o foguete que foi a lua, a bomba atômica foi surgiu muito antes de qualquer usina nuclear, a Internet foi desenvolvida para servir as comunicações militares… os exemplos são múltiplos e a adaptação de um motor elétrico em um helicóptero para missões de assaltos onde o fator surpresa é primordial seria de se esperar… Agora, um paquistanês filmou um incêndio que teria sido o do helicóptero abandonado… Alguém diria que se fosse um helicóptero elétrico não haveriam tantas labaredas… Eu gostaria de lembrar que seria burrice utilizar pesadas baterias de litio para gerar a eletricidade necessária… Fuel cells a base de hidrogênio, muito mais leves e com capacidade de carga igual ou superior a baterias, seria a melhor maneira de gerar a eletricidade necessária… Resta um especialista dar a última palavra, analisando o tipo de chamas geradas pelos explosivos detonados.

      Quanto ao Paquistão saber ou não saber da missão, saber ou não saber que OBL estava logo ali é tão difícil de responder quanto olhar para imagens que vem daquele país e imaginar que “aquilo” tenha 142 ogivas nucleares (estimativa de 2011)… e deixam!!!

    • Fausto disse:

      Cesar,

      Os helicópteros americanos entraram e saíram do Paquistão a baixa altitude, de modo a não serem captados pelos radares daquele país.

      Se o Paquistão soubesse do ataque, avisaria Bin Laden. Era sua existência, ou a falta de seu cadáver, que ajudava a manter o tal auxílio anual de muitos bilhões de dólares aos pakis. Com ele morto, e a suspeita que o Paquistão o acobertava ativamente ou ao menos fazia vista grossa para a sua presença, nunca essa tal ajuda esteve tão em risco. Osama morreu e agora mais do que nunca se sabe ou se desconfia que com os pakis e seu governo não se pode contar mesmo. Pra quê então continuar lançando grana sobre aquele país?

      Ou talvez não. Porque a alternativa ao que o Paquistão — uma potência nuclear, lembremo-nos — tem hoje lá em termos de governo pode ser algo infinitamente pior. Uma dor-de-cabeça para os americanos que nem um caminhão de Tylenol pode curar.

      F.

      • João Canali disse:

        Fausto, um caminhão com uma decoração que em sí já é um pesadelo… O engraçado é que a iconografia deles ainda é atrelada a Índia, mesmo com toda a guerra de raiz cultural (a pior delas) que mantém com os vizinhos…

        Se lembrarmos como o país se formou… tudo fica mais confuso ainda… Sua primeira constituição é mais nova do que eu 2 anos… Um samba de crioulo doido para ninguém colocar defeito… Desconfia-se que eles possuem 142 ogivas nucleares que possivelmente foram doadas/compradas/orientada na fabricação pelos chineses que também não gostam de indianos, ou por eles se sentem ameaçados (na capacidade de fazer filhos quem sabe… os indianos estão ganhando, não admitem o aborto e não fazem cara feia para trem da Central lotado de gente, afinal cada qual já nasce sabendo quem é na vida…) tanto faz…

        Mas… veja só… Os americanos de tanto usarem o espaço aéreo paquistanês para atacar o Afeganistão… acabaram acidentando uns 5 mísseis de cruzeiro Tomahawk em território paquistanês… Resultado: Eles, que eram obrigados a terem que usar jatos chinêses (os chineses ainda não são bons nessa coisa… quero dizer… ainda… estão até querendo ir a Lua…) para transportar seu arsenal tático nuclear, apareceram com um míssel de cruzeiro em 2005 que é capaz de carregar cabeças de guerra nucleares… Quem olhar para um míssil Babur, o nome da coisa, e um Tomahawk dirá que um é filho do outro… As futuras versões do míssel (que provocou os indianos a pretenderem comprar anti-mísseis Patriots… Hummm…) Babur, poderão ser instalados nos submarinos paquistanêses, que foram fabricado pelos franceses… Ou seja, se configura a possibilidade de a terceira guerra mundial (eu acho que já seria a quarta, a terceira ou foi a Guerra Fria ou foi essa contra o Islã, ambas disfarçadas…) começar com um ataque surpresa (quem sabe… para vingar a invasão do espaço aéreo paquistanês na captura de seu talismã Osamar…) em solo americano (que seja lá na costa oeste, toc, toc, toc…) com a explosão de uma bomba nuclear chinesa carregada por um míssil americano e disparada de um submarino francês com um comandante paquistanês com a cara do seu avô indiano. Nada mais propício para exemplificarmos o que significa a globalização para os “pacíficos” povos desse planeta.

  2. Max Dias disse:

    Elementar, my dear Canali: acabou a pilha do chopper e não dava para voltar. Cabuum! Isso deve até ter sido previsto, pois a silente libélula já vem com um mecanismo de autodestruição.

    • João Canali disse:

      Max, seu comentário me fez repensar algo… Sendo o motor elétrico alimentado por fuel cells de hidrogênio para escapar do peso das baterias de litio, temos que admitir que ainda haveria um resto de hidrogênio no aparelho, que talvez não fosse suficiente para a viagem de volta… Esse resto é que seria responsável por essa queima…

      De certo que os explosivos estavam préviamente instalados… Mesmo considerando a desculpa oficial… que os helicópteros teriam uma ainda não conhecida tecnologia stealth para helicópteros e supressores de ruido (que se existem de fato então deveriam ser de uso obrigatório, como os abafadores de som no escapamento de automóveis o são… isso pensando em São Paulo e no Rio, que, aparentemente, possuem muito mais helicópteros circulando do que nas cidades do país onde são fabricados…) de uso militar. Como disse para o Fausto, os paquistanêses são acusados de copiarem mísseis americanos que cairam por lá… Mas, ninguém acredita na tecnologia dos paquistanêses ou dos muçulmanos em geral (todos concordam que eles são muito mais fiéis ao seu único deus do que os politeístas ocidentais, ora, dentro de um quadro desses, como elaborar ciência que é de onde sai toda a tecnologia que interessa?), os chineses devem estar por trás de tudo, inclusive das cópias, eles são ótimos nisso.

      Os paquistanêses não possuem Black Hawks (o Brasil possui gloriosos 10 aparelhos…) e não saberiam distinguir as peças de uma versão com motor elétrico de uma regular…

      Agora… que sucesso não faria um helicóptero elétrico desses nas mãos da Tropa de Elite… A noite chegariam em cima da mansão barraco do chefe dos traficantes (tinham que tomar cuidado para não descerem no rapel justamente em cima da jacuzzi da rapeize… Já com o OBL não havia esse risco, aquele bode velho não tomava banho desde que escutou o conto número um de mil e uma noites…) e matavam todos de surpresa, inclusive as piriguetes que serviriam de escudo e ainda saiam com a droga apreendida para vender em outro morro… tudo de fininho no sigilo da naitiii… Como é que foram deixar de fora o Cel. Nascimento nessa operação no Paquistão??? Traria o OBL puxado pela barba e com o saco plástico o faria confessar que era o verdadeiro pai de Bush 😉

  3. cesarbarroso disse:

    Fausto,
    A sua segunda opção é a mais plausível, me parece. Eles têm armas nucleares, e aí, somente aí, reside o perigo. Seria uma loucura total essas armas nas mãos de radicais islâmicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s