Haja Saia Justa!!!

Estamos vivendo dias excepcionais para o analista independente de comunicação observar a pavimentação da opinião pública e como ela se dá. Todos os cordões de comando da mídia/imprensa mundial estão sendo puxados. A bruma de desinformação indica a espera por uma decisão quanto ao que vão fazer. Gadaffi bombardeou refinarias ontem e deixaram passar essa informação. As notícias tem que ser lidas dessa forma: o que aconteceu e o que nos deixaram saber passa a ter um significado informativo também. Nesse caso a mensagem é a seguinte: Gadaffi ameaça destruir a capacidade de produção de petróleo (refinarias conserta-se mais rápido que poços de extração, foi apenas um recado) se for decidido que ele cairá. Destruir poços é objetivo militar facilmente alcançável. Impedir isso só com uma ação militar altamente arriscada, na tentativa de cortar a cadeia de comando líbio.O mesmo aconteceu em 1991 quando as forças de Saddan deixaram o Kuwait. Naquela ocasião dinamitaram diversos poços e a produção daquele país teve que ser suspensa por mais de 6 meses… A diferença no fornecimento foi coberta pelos sauditas… Teriam condições de fazer o mesmo hoje? As anunciadas reservas ocidentais cobririam esse tempo hoje? Falamos de 10% do abastecimento europeu.

Ao falar de Al Queida, o bicho papão… Gadaffi indica um possível caminho para deixá-lo a frente do poder… Um gozador ou um louco? Novamente vemos porque eles sempre são derrotados… Foi a mesma coisa com Saddan. Quando tinham a faca e o queijo na mão para despejarem verdades que só quem está no poder tem acesso, resolvem fazer jogo de mídia de forma incompetente e caricatural… Ontem mesmo não estava afirmando que as potências ocidentais estavam querendo controlar o petróleo líbio? E agora fala do bicho-papão?! Mas, essa versão Al Queida se adapta bem a opção de deixá-lo no poder caso suas ameaças (em off) quanto a destruição dos poços seja considerada perigosa… a torneira não pode fechar.

A leitura do posicionamento da mídia é fácil de se verificar a partir do tratamento dado a Gadaffi. Se é chamado de líder ou presidente líbio ou se é chamado de ditador líbio. O mesmo aconteceu com o faraó Mubarak. Em uma semana passou de presidente egípcio (e fora eleito, com votos comprados ou falsos, não importa… era o caso de Saddan que tinha sido eleito com 100% de aprovação… esses árabes malucos não pegam leve…) para ditador egípcio.

Para hoje fora anunciado uma importante reunião do Conselho de Segurança que decidiria a respeito de uma Zona de Exclusão aérea sobre a Líbia, o mesmo que começar uma escalada de invasão ou amassar pelo ar as forças de Gadaffi, facilitando a ação das tribos rebeladas. Obama tem se lembrado de seu Nobel da Paz, de sua postura de presidente democrata que não pode fazer igual ao grande inimigo republicano, os caipiras supremacistas do mal, enfim, como bom político está cozinhando para encontrar uma saída que demonstre que os EUA respeita a opinião pública internacional e ao mesmo tempo não perca seus atuais interesses nessa ação estratégica iniciada na Tunísia… Na verdade, nunca vamos saber exatamente quais os elementos que foram conjugados. A fome (isso é real, com causas diversas…); a oportunidade da revolta; a necessidade de mexer na região para obtenção de uma acordo de preços do petróleo, única maneira de acontecer uma recuperação econômica ocidental a tempo do partido democrata não ter sérios riscos de perder o poder, já o ano que vem, para o grupo político mais perigoso do planeta…

Obama está com todos os problemas que somente um grande estadista poderia resolver… Vamos ver como se sai… Essa leitura é totalmente a parte de posicionamentos ideológicos e políticos. Isso é coisa do interesse do romance intrínseco da historia humana, para quem pode apreciar, obviamente… infelizmente sempre poucos, para não variar.

Mas, eu estava falando do anúncio da reunião do Conselho de Segurança e desviei de assunto assim como toda a mídia, ao menos, nos principais portais que acabo de consultar rapidamente… Acabei tendo que apelar para o Google para encontrar alguém livre… Matéria de uma agência de notícias Sul Africana (!) para o site de um jornal, o Time Live… Falando que China e Rússia haviam melado a pretensão de se estabelecer a tal zona de exclusão aérea… Livrando a cara do Brasil de uma saia justíssima a ser vestida, pelo menos, por uma mulher, a presidenta Dilma.

Votar contra Gadaffi significa romper, pelo menos temporariamente, com o alinhamento terceiro mundista que Lula acalentou em seu governo. A entrada de dólares na economia brasileira bate recordes, uma faca de dois gumes, o que pode ser bom, investimentos para a danificada infraestrutura, pode ser ruim… na hora de remunerar essa dinheirama toda… A história da pirâmide, o dinheiro que entra pela base é o dinheiro que paga a alta remuneração contratada no pico, formando-se uma pirâmide invertida acima da atual pirâmide, que acaba cedendo pelo peso da gravidade… Haja saia justa…

Anúncios

Sobre João Canali

Jornalista brasileiro e norte-americano residente em Miami, produtor e apresentador do Seriado Teorias (You Tube).
Esse post foi publicado em Política Internacional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s