Um Pouco de Guerra Fria Para Aquecer o Nosso Natal

Uma Simples Analogia

Depois de tantas emoções catastróficas, 2010 estava nos devendo um segundo semestre mais “caliente”… Ninguém mais liga para o Dr. No da Coreia do Norte, o “Armadilhajá” está “blindado” pela China que precisa de cada gota de seu petróleo e impostos continuarão baixos para os ricos da plutocracia norte-americana (a coisa é tão acintosa que os parlamentares a serviço das corporações, os republicanos, trocam a continuação dos baixos impostos dos ricos dada por Bush pela a extensão dos benefícios para dois milhões de americanos desempregados, que poderiam em grande parte juntarem-se aos dois milhões de penitenciários do país, por falta de alternativas de subsistência…). Nossa falta de assunto interessante é salva pelo Julian Assange e o seu Wilileaks que acaba de ter sua prisão decretada em Londres, em outra acintosa ação que me faz lembrar em essência a perseguição contra os desenhistas das charges com a figura de Maomé. Estão decretando o fim da liberdade de imprensa, não com os absurdos das religiões, mas, com um asqueroso sub-produto da mesma, o falso-moralismo em relação ao sexo… E foram logo escolher a Suécia, antiga campeã da liberação sexual dos anos 60/70 para descobrir um crime contra o camarada!

Fosse eu um blogueiro (resisti anos a ter um blog por causa desse título, enfim…) bom moço, dedicaria o resto desse artigo a defender a importância da liberdade de imprensa ou como isso só tem deixado de ser um mito em função das gratuidades da Internet… Mas, o que quero mesmo é falar o que a mídia oficial ,paga por anúncio de corporações,  está deixando de comentar. O próprio Julian sugeriu que Hillary Clinton fosse demitida por estar evidenciado nos documentos provenientes da “escuta digital” que ela teria ordenado a espionagem da ONU, entretanto, na realidade, o buraco é muito mais embaixo… E… Calma!  Não vou falar então que, nesse caso, o próprio Obama estaria implicado, como algum republicano safado já deve ter inferido. A própria existência de uma coletânea de mensagens de embaixadores com o Departamento de Estado Norte-Americano já é uma evidência de espionagem, que alguém no governo norte-americano fica controlando o que seus próprios embaixadores comentam… Um Big Brother interno! Que tipo de estado é esse que em algum ponto dos arquivos reúne comentários de funcionários de alto-escalão?! Evidentemente, que não podemos ficar imaginando que os emails foram desviados um a um, são milhares deles, que raios de hacker mais paciente seria esse?! ciô… Quem desviou os arquivos, o fez de uma vez só de algum servidor do próprio governo americano. E, para fazer isso, nesse volume teria que ser alguém de dentro do próprio governo… Idealistas são tão pouquinhos no mundo que prefiro acreditar na velha e boa KGB, com alguém no bolso a lhes dar senhas de acesso e outras “cositas mas”… Eles continuam ativos… A pouco tempo atrás tiveram uma equipe de espiões apanhada querendo se infiltrar no “high-society” americano, onde a informação de quem de fato manda no país está a plena disposição… Para que saber o que o senador republicano vai fazer ou votar se ele é apenas um empregadinho de maiorais corporativos que freqüentam o jet set? Não se trata, de forma comprovada, de uma plutocracia de mercado? Não foi boato. Os espiões foram trocados por outros espiões norte-americanos presos por lá a algum tempo e tudo ficou por isso mesmo… EUA e Russos são hoje inimigos cordiais, toda vez que um pode, sacaneia o outro, sempre dentro de regras bem definidas e comportadas. A lógica que impera ainda é a da guerra fria, o que não é bom para outro é algo que serve de vantagem… No pano de fundo, bem lá embaixo de uma possível traquinagem russa está a retificação do tratado de limitação de armas estratégicas SALT, que está sendo aprovado no congresso americano nesse fim de ano… “Vamos mostrar pra eles que ainda temos alguma força e que somos capazes de causar uma estrago danado no conto de fadas que contam para eles mesmos e o mundo.” Filho da Putin!!! Com esse homem não se brinca… Veja agora mesmo o “chega pra lá” que deu na mafiosa FIFA… Conseguiram sediar uma Copa do Mundo sem ter que pagar um centavo ao Blatt… Imagina se o Wikileaks com informações vazadas da FSB (sucessora da KGB) publica os documentos que mostram como a FIFA direciona as finais de suas Copas do Mundo? Os russos podem ter desistido da chantagem atômica, hoje coisa de outros membros do imortal clube dos baixinhos ditadores como o Kim Jong II  e o “Armadilhajá” e ter partido para as diversas chantagens que podem realizar com os segredos descobertos por seu poderoso serviço secreto que nunca foi desmantelado. Fora o quê, os maiores criminosos do espaço cibernético são russos… Eles perderam a guerra fria por não fabricarem processadores (era tudo comprado ou contrabandeado do ocidente…) mas, usaram a paciência de excelentes enxadristas que são, para formarem excelentes programadores…

Se não foram eles foi a própria CIA que vazou propositalmente os documentos. Como? Com que vantagem? Bom, para quem não se lembra, da última vez que a Wikileaks foi manchete foi em relação a documentos vazados do exército americano. Coisa que, em última análise, informava o que o próprio Obama não se cansa de dizer com meias e inteiras palavras: Que a guerra do Afeganistão é pura “roubada”. Que aquilo não tem solução e que o interesse de manter as tropas “internacionais dos aliados do ocidente norte-americano” mobilizadas para confrontos naquela região vital de abastecimento de petróleo possui um preço impagável, ainda mais atravessando a atual crise. Os documentos denunciados ajudavam a própria decisão política de entregar o Afeganistão a seu próprio destino “talibanês”.  Será então que agora, apesar da imensa “saia justa”, algumas verdades impossíveis de serem ditas de forma diplomática não estejam sendo ditas? Será que não interessa poder trocar grande parte do corpo diplomático norte-americano, gente com todo o perfil perigoso e grosseiro (vide o teor das conversas e comentários dos embaixadores) dos republicanos? Será que o vazamento não propiciará uma grande faxina no corpo diplomático americano? Eu vivo aqui e não posso deixar de lembrar de como tudo que acontece de bom ou de ruim nesse país surge de um pretexto que é elaborado de forma nem sempre inteligente para bons farejadores. Querem um exemplo? Mudei de casa e me aumentaram o seguro dos carros da família… Alegaram que a  cidade/bairro onde fui morar é mais perigosa, logo o prêmio do seguro é maior. Mas deixam isso? O estado não apita nada nessa exploração indômita? A estatística é publica, mas se ela mudar, se deixar de acontecer tantos furtos de automóvel nesse bairro… Alguém vai me devolver o dinheiro que paguei a mais naquele período que deixaram de acontecer os tais furtos? Claro que não, o que vale é o pretexto e o poder das companhias de seguro, verdadeiros oligopólios no país… Só precisam de um pretexto para meterem a mão, ainda mais sob a pressão de que precisam reativar a economia… e isso é capaz de ser algo já cultural, são movidos a pretextos… Então que façam a faxina… Fora com esses embaixadores republicanos.

O Julian vai se safar dessa e, com a fama que conquistou, ganhará rios de dinheiro com livros, conferências e entrevistas. Merece, pois, seja por que motivo for, levantou a bandeira da liberdade de imprensa e do primeiro artigo da constituição americana em relação a liberdade de expressão. Trava uma luta que deve ser de todos nós, mesmo que, repito, por motivos obscuros. Se os leitores do Blog Teorias quiserem acessar o Wikileaks, usem um espelho que fica na Dinamarca www.wikileaks.de/ foi aquele que consegui acessar com rapidez, o site oficial e muitos dos espelhos estão “under atack” o que também pode ser a melhor das propagandas… o velho docê sabor do proibido… coisa de enxadrista… Mas, o Bob Fisher também era um excelente enxadrista.

Anúncios

Sobre João Canali

Jornalista brasileiro e norte-americano residente em Miami, produtor e apresentador do Seriado Teorias (You Tube).
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Um Pouco de Guerra Fria Para Aquecer o Nosso Natal

  1. cesarbarroso disse:

    Dois pesos e duas medidas, é o que prevalece na política internacional. Como poderemos resolver os nossos problemas mais sérios se não há honestidade, se a hipocrisia é a moeda corrente e aceita?
    O povo americano está cada vez mais perdido. Não pensam, mas adoram uma palavra de ordem. Uma dessas palavras de ordem para embotar a inteligência, para impedir o desenvolvimento de um pensamento lógico. E assim os republicanos enganam a massa sem parar, a Fox News tem a maior audiência, e eles caminham céleres para se tornarem uma república de bananas.

  2. João Canali disse:

    César, um dos problemas mais recorrentes que vejo na comunicação de massa nos EUA é o esquecimento de fatos históricos, mesmo os mais recentes. Por exemplo, comparando, Lula nunca parou de escutar acerca do mensalão, até mesmo agora durante a campanha que elegeu Dilma, farpas ecoavam por todos os lados… Bush, nunca foi lembrado de sua primeira eleição fraudulenta (onde, na verdade, os EUA obtiveram seu grande diploma de República Bananeira), nem pela mídia, nem pela oposição democrata.

    O fato é que temos que aceitar definitivamente é que a mídia patrocinada está com suas mãos amarradas. Veja agora nesse caso do Wikileaks, era para a mídia mundial estar totalmente contra a coerção que estão praticando contra o chefe do site, inclusive – temos que perguntar também – onde está a Anistia Internacional e o Green Peace e tantas outras organizações que se mostram tão prontas a lutar pelas boas causas internacionais contra o establishment… Afinal, sem tirar nem por, estamos falando da tão sagrada liberdade de imprensa, o Wikileaks nesse caso, nada mais é do que uma publicação, digital que seja, especializada em denunciar fatos que os governos tentam manter em segredo. Se existe o risco dela estar sendo usada por outros governos, como teorizei, isso não interfere com o valor de face da questão, que estão criando uma coerção contra o rapaz (falsa ou não, pouco importa, mas é o que estão tendo a cara-de-pau de realizar) em nítida tentativa de intimidá-lo ou puni-lo.

    Ainda dentro desse assunto que está no cerne do que você falou, temos que reparar que o Wikileaks é uma espécie de pioneira em mídia não diretamente patrocinada (vive supostamente de doações que, aliás, foram publicamente cortadas, também no embalo de intimidar) que possui fontes próprias, sejam elas quais forem… De um lado temos a mídia patrocinada que trás notícias controladas, só tomamos conhecimento do que nos trazem para sabermos (e claro que aí existe a “edição” do mostra isso, não mostra aquilo…) e do outro, agora, de uns 15 anos para cá, a mídia gratuita da Internet, a qual somos ou pretendemos ser belos representantes… Como você tão bem sabe, só temos condição de trazer notícias se elas ocorrerem debaixo de nossa diminuta janela ou, quem sabe, com o uso de telepatia, muita intuição e experiência, de resto somos obrigado a comentar o que a mídia patrocinada está nos trazendo. Claro que ainda existe uma concorrência na mídia patrocinada que nos permite um mínimo de fatos verídicos a comentar, mas eu diria que isso possui um limite, chega-se a um determinado ponto no qual toda a mídia patrocinada está falando em “comunidade” ao invés de “favela” ou de “facção” ao invés de “Comando Vermelho” porque alguém pediu que o nome da organização criminosa não seja propagado para não gerar atração e status entre os adolescentes da “favela”… Como a palavra BOPE gera… Essas alianças da mídia com os governos e os grandes anunciantes possuem um caráter ambíguo… o tal do pretexto que acaba servindo para lubridiar a opinião pública.

  3. fbarbuto disse:

    O que me deixa pensando é como o povo americano se deixa engambelar com tantas lorotas. Talvez lhes seja conveniente. Não vejo outra explicação, por maior que seja a parcela jeca da sua população.

    F.

  4. João Canali disse:

    Entendo o que você quer dizer Fausto, no entanto, deixa eu multiplicar por 3 esse número de jecas totalmente alienados que você imaginou, antes de tentar enquadrar a situação daqueles outros que agem como torcedores que possuem conciência e não se incomodam que o juiz tenha roubado a favor de seu time, que seu zagueiro tenha de fato cometido um penaltie, que os jogadores de seu time joguem de forma anti-esportiva, etc., o que importa é ganhar ou continuar ganhando… Dentro desse quadro eles negaram até a morte que seu time tenha sido favorecido ou jogado de forma desleal… O argumento último dessa gente é achar que merecem ganhar sempre, porque são os melhores, possuem as maiores torcidas, etc. Esse comportamento não impedirá de reclamarem quando a coisa for contra eles.

    Agora tem aquele quadro típico, algumas vezes bem explorado pelos comediantes brasileiros, do gringo metido a esperto, que na verdade, está dando a maior bandeira que está fazendo algo errado, e segue achando que ninguém está vendo ou sabendo de sua “pequena malandragem”. Um vendedor de seguros ou outra patifaria qualquer “agressivo” (como eles chamam), aqui nos EUA é a caricatura disso que falo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s